duvidas frequentes guia do amputado

Dúvidas Frequentes – Guia do Amputado

Após a amputação, à medida que o tratamento avança, surgirão alguns termos que irão fazer parte agora da sua vida de amputado.  Neste contexto, o objetivo deste artigo é trazer para você a resposta para as  maiores dúvidas frequentes que recebemos de nossos pacientes sobre este universo do amputado e próteses ortopédicas.  Fizemos este guia para te ajudar, espero que goste.

 

Por que usaria uma prótese?

 

A prótese ortopédica é uma substituição artificial de um membro ausente e o objetivo é ajudar  a recuperar a independência após a amputação. A escolha de usar ou não a prótese irá depender de seus objetivos pessoais.  A melhor prótese é aquela que o ajudará a alcançar seus objetivos e a viver a vida que gostaria de viver. Algumas coisas importantes a se perguntar são:

 

  • O que você quer fazer com uma prótese?
  • Que atividades você planeja fazer?
  • Você quer andar ou correr?
  • Você se preocupa com a aparência?

Quando falamos de próteses ortopédicas, não existe uma que seja melhor para todos. Você tem que trabalhar junto com seu técnico em próteses e equipe de reabilitação para chegar a uma solução que atenda às suas necessidades. O técnico em próteses irá trabalhar junto com você no design e ajustes da prótese. O fisioterapeuta irá te ensinar ao máximo como utilizar a sua prótese para alcançar os seus objetivos.

 

Como funciona uma prótese? 

 

A prótese é basicamente uma extensão do seu corpo. Elas variam de acordo com o nível de amputação, idade, habilidades da pessoa e suas necessidades do dia a dia. O técnico em próteses será o responsável por fazer as recomendações e criar um dispositivo que se adapte ao seu membro e estilo de vida.

Os componentes de uma prótese de membro superior são semelhantes ao de membro inferior.  Em uma prótese de membro inferior, no caso de uma amputação transtibial temos o encaixe, corpo e o pé, se for amputação transfemoral, desarticulação de quadril acrescenta-se o joelho. Uma prótese de membro superior terá um “dispositivo terminal”, como um gancho, mão ou ferramenta especializada, com foco no aprimoramento funcional.

 

 

O encaixe conhecido como soquete, é a parte que vai  englobar o membro residual com a prótese, sendo ele o responsável por controlar o movimento. E também é a partir do encaixe que se inicia o processo de protetização.

Entre o membro residual e o encaixe podemos ter ainda o Liner. O Liner é uma capa protetora confeccionada em material flexível e acolchoado muito semelhante a uma meia, feito especialmente para o coto do amputado. Esse revestimento é fabricado com diferentes tipos de materiais como silicone, elastômero termoplástico (TPE), poliuretano entre outros.  

O grande benefício do Liner é reduzir o movimento e a fricção entre a pele e o encaixe da prótese, aumentar a fixação da prótese ao paciente e proteger e hidratar a pele do coto.

O pé será o responsável por apoiar todo o conjunto do encaixe, corpo substituindo o pé natural. 

 

Qual é a sua aparência?

 

Atualmente é possível fazer a customização no local do encaixe do coto. Essa customização é como se fosse uma tatuagem que representa muito na vida do amputado.

A customização dos encaixes das próteses ajuda na socialização dos amputados, principalmente no caso de crianças. Mas independente de ser criança ou não, qualquer paciente pode pedir que faça a customização, basta ver com o seu técnico em próteses. Muitos pacientes escolhem desenhos do time do coração, personagens de filmes, paisagens da natureza, entre outros. Veja alguns exemplos abaixo:

 

dúvidas frequentes guia do amputado

 

Um bom design na prótese melhora a vida do amputado, pois aumenta sua autoestima. Além das próteses customizadas com desenhos nos encaixes, existem as capas cosméticas, que podem ser coloridas e podem ser utilizadas nas próteses de perna. Exemplos abaixo:

 

duvidas frequentes guia do amputado

 

Vou precisar usar cadeira de rodas ou muletas?

 

Você provavelmente terá que usar um par de muletas enquanto estiver no processo de protetização. E depois de ter colocado a prótese, poderá usar o par de muletas pelo menos parte do tempo. Podem ser usadas para idas ao banheiro à noite, tomar banho, viajar longas distâncias ou se surgirem problemas que requeiram deixar a prótese de lado por um período de tempo. Uma cadeira de rodas pode ser usada para exercícios e esportes. As muletas podem ajudar a evitar o desgaste do membro residual para atividades como caminhadas mais longas ou caminhadas, e podem ajudá-lo a se locomover se ocasionalmente não puder ou não quiser usar sua prótese.    

 

Qual o valor de uma prótese ortopédica?

 

O preço de uma prótese ortopédica varia muito e depende do nível de amputação e do tipo de dispositivo mais adequado para você e suas necessidades individuais. Então o mais recomendado é agendar uma avaliação com um especialista em próteses para que ele possa avaliar a sua situação e recomendar as próteses que mais se encaixam no seu perfil.    

 

O que são Níveis K? 

 

Os níveis K são uma forma de classificar os amputados em categorias específicas com base no potencial de mobilidade de cada paciente. Esse estilo de classificação é usado principalmente para pessoas que sofreram amputação de membros inferiores porque a ausência de membros superiores não atrapalha a capacidade do paciente de se deslocar de um lugar para outro, na maioria dos casos. A Bionicenter faz indicação das próteses com base nos níveis K.

  • K1 – Muito pouca mobilidade. Esse tipo de paciente é capaz de se deslocar para outro local por conta própria com a ajuda de um membro protético. É necessário um caminho nivelado e reto, juntamente com uma velocidade de caminhada consistente.
  • K2 – Mobilidade limitada. Este paciente é capaz de se deslocar para outro local com o uso de uma prótese, bem como se ajustar a pequenas variações na superfície de caminhada (degraus, meios-fios, etc.) Pequenas variações na velocidade de caminhada também podem ser feitas neste nível.
  • K3 – Mobilidade média / normal. Neste nível, os pacientes são capazes de se mover para outros locais enquanto se ajustam à maioria das variações na superfície de caminhada enquanto varia sua velocidade de caminhada.
  • K4 – Alta mobilidade. Esses pacientes possuem a capacidade de realizar todas as tarefas mencionadas anteriormente, além de serem capazes de aplicar alto impacto, pressão e estresse no membro protético.

 

ebook protese de alta performance
Baixe Nosso Ebook Grátis – Próteses de Alta Tecnologia

 

Depois de quanto tempo poderei iniciar o processo de protetização?

 

O tempo para começar a usar a prótese depende do tempo de cicatrização do coto. Geralmente, o processo para a adaptação de um dispositivo protético começa dois a seis meses após a cirurgia, uma vez que a incisão cirúrgica cicatrizou completamente, o inchaço diminuiu e sua condição física melhorou.  

 

Depois de receber minha prótese, quando posso voltar ao que fazia antes da amputação?

 

O seu novo normal dependerá do tipo de amputação que você tem, seu processo de reabilitação, saúde geral e bem-estar. O objetivo da sua prótese é ser uma ferramenta para ajudá-lo a fazer as coisas que você costumava fazer, bem como as atividades que você deseja fazer agora.  

 

Como você sairá com a sua prótese vai depender dos ajustes feitos. O primeiro ano após uma amputação pode ser um ajuste difícil. Haverá mudanças na forma e no tamanho de seu coto. Você e sua equipe trabalharam muito para recondicionar os músculos. Seu corpo precisará reaprender atividades, marcha, equilíbrio e coordenação. Você também precisará aprender a confiar em sua prótese.

 

É importante ter  paciência e persistência para se adaptar a sua prótese.

 

E se a prótese não se ajustar corretamente?

 

O processo de adaptação a prótese envolverá várias visitas para que se crie um dispositivo que se adapte a você e as suas necessidades. Algumas amputações podem ser mais difíceis de ajustar corretamente e podem exigir vários ajustes. 

 

Mesmo que você já esteja usando a prótese, pode levar um tempo até que se acostume com a sensação de peso no seu coto. Caso sinte dor, informe ao seu técnico em prótese para que ele possa fazer os devidos ajustes. As consultas de acompanhamento com o seu protesista podem ser tão importantes quanto a adaptação inicial.

 

À medida que seu membro residual muda e continua a cicatrizar, você precisará fazer visitas de acompanhamento para avaliação contínua de seu progresso e possíveis ajustes. Informe o seu protesista se a prótese for desconfortável de alguma forma, para que sua equipe protética possa aliviar as áreas de pressão, ajustar o alinhamento, ou resolver os problemas que você está enfrentando. Quanto mais confortável for o ajuste, maior será a probabilidade de você usar sua prótese. Fale honestamente com seu protesista sobre suas necessidades e objetivos. Discuta o que você deseja e precisa fazer na vida após a cirurgia.    

 

Quanto tempo vai durar minha prótese?

 

Dependendo da idade, nível de atividade e crescimento a prótese pode durar de vários meses a anos. Nos estágios iniciais após a perda do membro, muitas mudanças ocorrem no membro residual que podem levar ao encolhimento. Isso pode exigir mudanças no encaixe, um novo revestimento ou até mesmo um dispositivo diferente. Quando tudo estiver certo, você se sentir confortável com o encaixe da sua prótese, serão necessários alguns reparos ou manutenção regularmente.  

 

É difícil aprender a usar uma prótese?

 

Aprender a usar a prótese levará tempo, força, paciência e determinação. O seu técnico em próteses irá lhe dar instruções de como usar a sua prótese, dar os primeiros passos e também dos cuidados importantes que se deve ter para uma boa durabilidade da prótese. Você também poderá trabalhar com um fisioterapeuta para que ele possa te dar instruções sobre como melhorar a sua marcha e andar melhor.

 

Como preparar o coto para a prótese?

 

como preparar o coto para protese

 

Grande parte de sua reabilitação será trabalhar com uma equipe de saúde que irá prepará-lo para se adaptar a sua prótese. 

 

E alguns cuidados serão necessários como: 

  • Posicionamento correto do coto
  • Alongamento e fortalecimento muscular
  • Exercícios para dessensibilização
  • Modelagem de membro residual
  • Cuidados diários com a higiene

 

A prótese pode quebrar?

 

Sim, podem acontecer imprevistos que exigirão reparo ou substituição. É ideal você saber sobre todas as garantias. Caso aconteça problemas, busque resolver o mais rápido possível, pois a espera de um reparo pode causar danos a outras partes do corpo. A tensão em outros músculos, como costas e ombros, afetará sua postura e o desempenho do dispositivo e aumentará a quantidade de energia necessária para usar o dispositivo.    

Gostou do nosso artigo sobre dúvidas frequentes? Compartilhe, deixe seu comentário abaixo e nos siga em nossas redes sociais Instagram, Facebook e Linkedin para ficar por dentro de nossas atualizações.

Referencias

https://www.amputee-coalition.org/resources/prosthetic-faqs-for-the-new-amputee/

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *